13 de dezembro de 2013

Sobre Iluminação - Ramesh


Participante: O corpo-mente é desintegrado com a morte e é também desintegrado antes da morte, com a iluminação?

Ramesh Balsekar - Não, iluminação não leva a desintegração do corpo. Deixe te esclarecer isso. O que a iluminação faz é desassociar a entidade do dualismo. A entidade não pode remover a si mesma do dualismo. Logo, enquanto o corpo-mente continuar a dualidade ainda estará presente. Entretanto, a duração do corpo-mente, no espaço-tempo é dualidade. O que não está mais presente na iluminação é o dualismo, "eu" como separado da entidade "você". Não existem mais entidades separadas.

Participante: Era isso que estava pensando, que essa parte seria desintegrada, ou destacada.

Ramesh: Correto.

Participante: Quando a iluminação aconteceu a você, você perdeu o interesse no trabalho?

Ramesh -  Pelo contrário! Não perdi o interesse. Mas, deixe-me esclarecer, isso foi no meu caso. Em outros casos isso pode ter acontecido, pois todo o interesse cessou. O que resulta da iluminação é impossível de se dizer. Eu não era um escritor anteriormente, mas os livros começaram a surgir. (...) Escrever não era minha profissão, nem um hobby, ela simplesmente aconteceu. (...) As páginas surgiam espontaneamente, e foram seis, sete, oito livros nos próximos oito anos, junto com todos os outros trabalhos. Por isso que nunca disse, serem "meus" livros, isso me deixa um pouco inibido. No fundo eu sei que nunca foram "meus" livros.

Também nunca fui um orador. Pelo contrário, minha esposa sempre me disse que eu em reuniões sociais nunca conversava, quando todos conversavam. Eu lhe dizia, que não tinha nada para conversar. E agora, aqui estou. (...)

Quando o evento impessoal da iluminação acontece, o evento acontecerá de acordo com o que o aquele organismo corpo-mente, e através do corpo-mente. E cada evento será diferente, uma imensa variedade. Logo, aquele que era escritor pode parar de escrever; outros que nunca escreveram passam a escrever; e muitos não fazem nada simplesmente; muitos largam tudo que faziam e se recolhem em lugares isolados.

Participante - O que estou falando é exatamente sobre isso. Eles parecem estar em um estado de ruptura.

Ramesh - Vejo que este estado de ruptura é de curta duração. Mas novamente posso estar cometendo um equívoco. Pode haver uma sensação de ruptura mas ela não perdura. Benção é uma palavra que particularmente não gosto, que cria equívocos de compreensão. A benção verdadeira é a ausência do desejo de bençãos. Essa é a verdadeira benção. Paz, tranquilidade são palavras que eu prefiro. De fato, no estado de iluminação, não se deseja mais bençãos nem nada mais. É a total aceitação. Este é o ponto.

Participante - Então, se pudesse traduzir o estado de iluminação em um só mantra, seria confiança?

Ramesh - Poderia ser. Mas minhas duas palavras seriam aceitação e entrega, que significam a mesma coisa. Mas você poderia usar confiança. 

Participante - Estou aqui para compreender a diferença entre iluminação e consciência em repouso.

Ramesh - O estado de consciência em repouso é um estado subjetivo.

Participante - Isso significa que não existe nada?

Ramesh - Isso significa que tudo existe em potencial.  Iluminação é apenas uma condição na fenomenalidade. Não se afaste muito disso. Iluminação é a compreensão na fenomenalidade, do que é o quê. Não existe ninguém se tornando iluminado, A questão da iluminação é apenas um conceito na fenomenalidade.

Participante - Então, o impulso para se iluminar é apenas ser permanentemente inconsciente?

Ramesh - Um impulso de quem? Este é o engano que acontece o tempo todo. Nós pensamos em termos individuais. Você está pensando como um pensador individual. Impulso apenas pode vir do ponto de vista do indivíduo, mas iluminação é apenas a compreensão que não existe indivíduo tentando compreender nada. É uma entrega, onde não existe entrega de ninguém. Logo a compreensão é impessoal, um flash de entendimento mas que não perdura horizontalmente. Não está relacionado ao triângulo sujeito, objeto, acontecimento. É apenas um entendimento puro e simples, onde não há mais ninguém compreendendo.

Participante - Sim, mas existe alguém consciente...

Ramesh - Não! Este é o ponto. Este é precisamente o ponto.

Participante - Isso não faz sentido para mim!

Ramesh - Exatamente! Exatamente! Nenhum sentido para mim! (...)

O que estou dizendo é que o entendimento é vertical, no qual não existe ninguém compreendendo nada; Existe apenas um flash de entendimento, no qual o sujeito desaparece. E você diz que não entende. (...)  Este entendimento acontece no tempo apropriado para cada um, e ninguém pode saber quando será. Tudo que posso dizer é que ele não acontece enquanto existirem expectativas, isto é, enquanto existir um "eu" um "mim" esperando por ele."
Ramesh Balsekar em Counsciousness Speaks

7 comentários:

  1. Muito bom este artigo de Swami Ramesh, principalmente quando nos alerta para não ficarmos "focados" na Iluminação: " Iluminação é a compreensão na fenomenalidade, do que é o quê. Não existe ninguém se tornando iluminado, A questão da iluminação é apenas um conceito na fenomenalidade.".
    Muito bom mesmo.
    Obrigado por este belo texto.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom! É raro vermos textos traduzidos de Ramesh Balsekar. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão Vitor! Seja bem vindo! Namastê!

      Excluir
  3. Respostas
    1. Agradeço sua presença Will!! Namastê!

      Excluir
  4. Ser presença sem se pré conceituar, só ser o observador! !!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails