23 de junho de 2012

Observação permanente...


"Faça um breve balanço da sua vida e pondere: quem guia você?
Quem está te guiando no seu dia a dia?

Arrisco dizer que existe uma possibilidade muito forte que você seja um agente fornecedor de dificuldades. Já pensou sobre isso?

A vida está pulsando em simplicidade e facilidade, disponíveis ao alcance das suas mãos, mas você, a mente, projeta sua realização em tudo que está fora do seu alcance, por mera ignorância – e a dificuldade passa a reger a sua vida.

Não é a sua verdadeira natureza que tem guiado você. Sua natureza é Paz, Silêncio, Quietude. Guiado por ela, não poderiam haver tantos conflitos. Portanto, esteja atento e veja que há algo inestimável, ao alcance de suas mãos. Na verdade, muito mais perto: dentro de você.

Basta voltar-se para dentro. Todo o seu trabalho está em descobrir onde o "dentro" fica e mudar-se para este "não-lugar". Reconecte-se com isso que tem todas as respostas ou, ainda, isso que aniquila todas as perguntas e nos deixa sem necessidade de respostas.

Essa percepção revela que viver não é um problema e sim um grande mistério, extremamente intenso e cheio de vitalidade. Fique com o simples: olhe para dentro!(...)

Quando você diz que está notando luz ou turbulência, pergunto: quem está notando essa luz ou essa turbulência ocorrendo no corpo, no coração ou onde quer que seja?
Quem é você? Esta é a pergunta fundamental.

Estamos habituados pela programação do software, embutido genética e culturalmente, a notar constantemente os eventos. Estou aqui, portanto, com um único convite: pare de notar os eventos! Você perde sua preciosa vida, se distraindo e analisando os eventos.

Em verdade, a grande chave é: note os eventos, eles estão ocorrendo. Veja-os. Mas antes de tudo, note aquele que está a notar os eventos. É por e para isso que estamos aqui, para ver Aquilo que vê. E só tem uma maneira de acesso: investigue com toda a sua vitalidade: quem é você?
É muito mais simples do que você pensa. Veja: onde está a turbulência agora? Se a turbulência passou, ela não é você. E não se engane quanto à luz tampouco, pois temo que a luz também possa passar, o que deixaria comprovado que você também não é essa luz.

O que quero que você verifique e realize é que, por mais lindos ou horrendos que sejam, todos os eventos passam. Tem uma coisa que permanece presente, imutável, genuína. A isso temos chamado de "observação". Por mais que você se distraia com os eventos e não a note, ela está sempre presente, é dentro dela que todos os eventos ocorrem. Se você busca a si mesmo, volte-se da inconstância dos eventos para a Observação permanente."
Satyaprem em Satsang

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails