2 de setembro de 2014

Liberdade, vulnerabilidade e confiança - Prem Baba


"Prem Baba: Após um dia inteiro de chuvas fortes, trovoadas e ventania, novamente o sol está brilhando. O dia está tão claro, tão iluminado. O que não é garantia de que não possam vir novas chuvas e uma mudança no tempo. Assim a vida evolui neste plano.

E a questão é: como não se identificar com essas oscilações do tempo? Como ser o mesmo diante de todas essas oscilações?

Equanimidade mental é o sinônimo de ter a mente fixa em Deus. E colocar a mente em Deus é como colocar a sua bagagem no bagageiro do trem e viajar descansado.
Mas, a mente é a louca da casa; ela prefere carregar o peso, porque para colocar a bagagem no bagageiro requer certa confiança. No núcleo da mente condicionada está o medo, e um dos principais aspectos do medo é o controle.
“Será que Deus sabe o que é bom para mim?”

É muito importante que você possa tomar consciência da sua falta de confiança, porque é ela que tem feito você carregar esse peso tão grande.

Os caminhos de Deus são misteriosos e nem sempre você consegue entender
racionalmente qual é o plano Dele para você. E você acaba criando muitas
expectativas em relação à sua própria vida e espera que Deus corresponda a essas suas expectativas, mas Deus conhece o seu coração e só Ele sabe o que você realmente precisa. Essa confiança implica em uma fragilidade, implica em uma vulnerabilidade. O ser humano teme essa vulnerabilidade, por isso a liberdade é um fenômeno tão raro.

A liberdade está intimamente relacionada com essa vulnerabilidade. Uma folha não sabe para onde o vento vai levá-la e se você é uma folha carregada de expectativas, a vida pode se tornar muito difícil. A vida pode se tornar um campo de muitos desafios porque você vai tentar controlar a direção do vento. O vento está soprando para a direita, mas você quer ir para a esquerda e você não confia que essa direção que o vento está te levando é uma direção que vai te levar para um lugar bom. Você está realmente convicto que sabe o que é bom para você. O vento é o princípio afirmativo em você. Esse princípio se orienta para a luz, união, construção, amor, prosperidade, paz, mas esse “eu controlador” se sobrepõe a essa direção. Esse eu controlador é o próprio medo. Ele acaba forçando as coisas para que a direção siga pelo caminho que ele acredita que é o melhor, mas acaba sempre gerando separação, destruição, sofrimento.

Essa relação do medo e confiança é muito profunda na alma humana. Conscientemente você deseja confiar, você deseja se entregar para o fluxo da vida, mas é tomado por esse medo inconsciente que faz você agir estupidamente.
Ha poucos dias eu lhe perguntei: o que é que Deus quer de você? Você sabe? Se não, pergunte, pergunte para Ele. Ele mora no seu coração. Pergunte a Ele: “O que é que você quer de mim?” porque nesse estado de separação, você pode dialogar com Ele. “O que você quer de mim?” não se canse de bater nessa porta, mas esteja preparado para quando ela se abrir. (...)

Às vezes o que ele necessita frustra tudo o que o ego acredita que precisa, e como confiar? Como colocar a mala no bagageiro e confiar que ninguém vai roubar e que se roubar está tudo certo também?(...)

 A lógica divina difere em gênero, numero e grau da lógica humana. O
que a entidade precisa passar aqui para dissolver os karmas que precisam ser
dissolvidos, o que ela precisa viver para poder alcançar um patamar superior no nível da alma? O sucesso material não quer dizer necessariamente que significa sucesso no nível do espírito. Pode até ser que seja, mas nem sempre. O que você realmente precisa, para poder se libertar das dívidas kármicas e poder ter o gosto da paz, da liberdade? Nem que seja em uma
próxima vida.

Eu tenho te ensinado a ficar atento às sincronicidades, atento aos sinais porque a sincronicidade e os sinais estão conectados com a sua intuição e a intuição é a voz de Deus dentro de você.
Sincronicidade está sempre mostrando o próximo passo na sua jornada. Eu tenho percebido que o que dificulta você de seguir os sinais, ou os comandos de Deus, que é a mesma coisa, é o apego a um desfecho determinado para as coisas. Isso faz com que você não aceite aquilo que está vindo para você. 

Esse apego a um desfecho determinado faz você ter necessidade de ter essa expectativa atendida, mas isso é uma limitação. Você está congelado em uma forma. Você quer que a vida se encaixe dentro dessa forma. E na vida são infinitas as possibilidades. 

Deus quer para você talvez algo que está muito além dessa forma. De forma prática te ajuda muito você ter consciência dessas suas expectativas, ter consciência do seu controle, do seu medo. Porque estando consciente, quem sabe você pode arriscar mesmo que com muito medo, colocar a mala lá em cima. Experimenta. Veja o que acontece.

Eu já vi de tudo. Já vi pessoas terem uma viagem confortável e deliciosa e outra que foi roubada no mesmo momento em que colocou a mala lá no bagageiro e aí entra numa crise daquela se questionando: “Por que eu fui confiar? Por que fui seguir esse ensinamento?” Ela não tem consciência que estava precisando se livrar daquela bagagem e precisava passar pela experiência de deixar ir embora.

O que é certo ou errado nesse mundo, me diga? Se a sua mente é muito condicionada ela começa enlouquecer nesse momento. Ela precisa da forma, ter um lugar para ela pousar se não ela se desespera. É claro que é válido você ter um plano de voo. É bom você ter algumas referências, até um plano de onde vai pousar. O veneno está no apego a esse plano. O apego a esse plano irremediavelmente te leva para o sofrimento porque é impossível controlar esse voo. Cada vez mais você é convidado a se entregar para o Mistério. Não queira eternizar nada. 

Hoje você está com alguém. Ok desfrute esse momento, mas não queira
eternizar isso. Não crie expectativa em relação ao futuro. Pode até ter um plano de voo, mas não se apegue porque amanhã tudo pode mudar e não quer dizer que seja uma coisa ruim.
Deus sabe o que você precisa. O que te machuca é o seu controle e a vítima em você, culpa Deus. A vítima culpa Deus, mas quem te machuca é o seu próprio controle.

Você já viu o ditado que o homem faz seus planos e Deus dá risada? (risos) Mesmo dando risada acho que você tem que fazer seu plano e não se apegue a ele, ou você vai ver Deus dando uma gargalhada. E aí se as coisas não saem de acordo com suas expectativas, você cai na vítima, começa a
reclamar. É um grande delírio achar que você controla a vida. É um grande delírio do ego.

Agora o tempo está claro, o sol está iluminando. Amanhã eu não sei. E às vezes você se vicia em olhar a previsão do tempo, não sai de casa sem visitar o astrólogo, o tarólogo para saber como vai ser amanhã. Essa relação entre o medo e a confiança é realmente muito profunda na alma humana. Por isso que eu digo que a essência do Parivartam é transformar o medo em confiança. Se tem medo, tem ódio.
Aí você está preso no tempo psicológico.
Sempre no passado ou no futuro, tentando controlar a vida.(...)
Tudo o que você faz nesse mundo custa dinheiro, mas na base da economia está lá o medo da escassez, está o controle e aí, como não ter miséria? Isso é verdadeiro no macro e é verdadeiro no micro. Por que você briga
tanto com a sua mulher, seu marido? Por que você briga tanto com seu namorado ou namorada? Ou seus amigos, seus familiares? Seus pais? Qual é a raiz dessa guerra, se não é esse medo pavoroso? Medo que faz você querer controlar até a respiração do outro; que queira ter cada minuto das suas expectativas atendidas, se não você coloca a besta fera para fora, mas só para se proteger do medo que você tem de não ter a vida sob o seu controle. Às vezes o medo é tão grande que até nem você mesmo respira, fica travado.

Estou lhe convidando para ir além desse medo; para ir além desse controle, a viver essa experiência de estar vulnerável.
Experimentar deixar Deus te levar. Esteja atento a sua intuição, atendo à sincronicidade. Escute o que eu estou lhe dizendo: o seu coração sabe o caminho.
Quando ouve o coração toca uma musiquinha assim (um celular tocou no salão). A voz do coração, a voz do guru encarnado, do guru que é a própria vida, falam a mesma coisa. Quando você está presente, você ouve essa voz. Quando você está aqui podendo olhar o que é transitório sem se identificar, você está ouvindo esta voz.
Se você puder relaxar um pouco, tudo fica mais fácil.
Abençoado seja cada um de vocês. Que possamos nos afinar com os códigos divinos da confiança.
Até o nosso próximo encontro.
NAMASTE"
Prem Baba em Satsang

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails