25 de agosto de 2014

Personalidade e Imaginação - Osho


"O ser do homem é muito simples, mas a sua personalidade é muito complexa. A personalidade é como uma cebola — existem muitas camadas de condicionamento, corrupção, e ocultas por trás dessas muitas camadas está o simples ser do homem. Ele está por trás de tantos filtros que você não pode vê-lo — e oculto por trás desses muitos filtros você não pode ver o mundo também, porque tudo o que atinge você é corrompido pelos filtros antes de atingi-lo.

Nada nunca atinge você como é; você continua deixando de sentir. Há muitos
intérpretes no caminho. Você vê alguma coisa — primeiro os seus olhos e os seus sentidos o falseiam. Então a sua ideologia, a sua religião, a sua sociedade, a sua igreja — eles falseiam tudo. Então as suas emoções — elas
falseiam também. E assim por diante, o tempo todo... No momento em que a informação chega até você ela não é mais quase nada do original, ou tão pouca que não faz diferença. Você só percebe alguma coisa se os seus filtros permitirem, e os filtros não permitem muito.

Os cientistas concordam; os cientistas afirmam que vemos apenas dois por cento da realidade — apenas dois por cento! Noventa e oito por cento da realidade se perdem.

Quando você está me ouvindo, ouve apenas dois por cento do que foi dito. Noventa e oito por cento se perdem, e quando os noventa e oito por cento se perdem, aqueles dois por cento ficam fora de contexto. É como se você pegasse duas páginas de um romance ao acaso, uma daqui, outra dali, e então começasse a reconstruir rodo o romance a partir dessas duas páginas. Noventa e oito páginas ficam de fora! Você não faz ideia do que elas continham; você nem mesmo sabe que elas existiam. Você tem apenas duas páginas e reconstrói toda a novela de novo. Essa reconstrução é uma invenção sua. Não é uma descoberta da verdade, é a sua imaginação.

E há uma necessidade interior de preencher as lacunas. Sempre que você vê que duas coisas não têm relação entre si, a mente sente uma pressão interior para relacioná-las; do contrário ela se sente muito intranquila. Então você inventa uma ligação. Você conserta as informações desconexas com elos, você as une com uma ligação e inventa um mundo que não existe.

George Gurdjieff costumava chamar esses filtros de "amortecedores". Eles o
protegem da realidade. Eles protegem as suas mentiras, eles protegem os seus sonhos, eles protegem as suas projeções.
Eles não permitem que você entre em contato com a realidade porque o próprio contato seria esmagador, chocante. O homem vive por meio de mentiras.

Conta-se que Friedrich Nietzsche teria dito: "Por favor, não tirem as mentiras da humanidade, ou então o homem não será capaz de viver. O homem vive por meio de mentiras. Não acabem com as ficções, não destruam os mitos. Não digam a verdade porque o homem não pode viver com a verdade.


E ele está certo quanto a noventa e nove vírgula nove por cento das pessoas — mas que tipo de vida pode existir por meio de mentiras? Essa seria uma grande mentira em si mesma. E que tipo de felicidade é possível por meio de mentiras? Não há possibilidade; dai que a humanidade vive em sofrimento. 

Com a verdade há alegria; com as mentiras há apenas sofrimento e nada mais. Mas nós continuamos protegendo essas mentiras.

Essas mentiras são agradáveis, mas elas o mantêm protegido contra a felicidade, contra a verdade, contra a existência.

O homem é exatamente como uma cebola. E a arte consiste de como descascar e chegar ao seu centro mais profundo."
Osho em Intuição: O Saber Além da Lógica

***

Nascemos inteiros, porém inconscientes. Um bebê é inteiro. Aquilo que sente é sentido integralmente, aquilo que percebe, percebe integralmente. Suas conexões nervosas, ainda estão imaturas, por isso aquilo que vê ainda não está integrado com aquilo que ouve, que toca, que prova, mas essas conexões não impedem que ele esteja inteiro no momento presente.

Esta presença é real, porém ainda não se tem a consciência dessa presença, o Eu Sou. Ela acontece quando os sentidos são integrados e o córtex cerebral é ativado. 
Com o Eu Sou, ( Eu existo ) vem a mente...vem o ego, Eu Sou alguém...uma pessoa..
Essa consciência do Ser, vem junto com a consciência ilusória de Ser "alguém"...separado...

Aí começa a trajetória humana da personalidade. 
Como bem diz Osho, vão se construindo infinitas camadas de personalidade.. influências familiares, sociais, culturais, genéticas, religiosas, enfim, muitas e muitas influências formam essas camadas da personalidade de cada um, e sem nos darmos conta, passamos a perceber a realidade não mais de forma direta e simples, mas percebemos a realidade pelo "filtro" dessas camadas da personalidade que distorcem aquilo que é. 

É exatamente por isso que se dez pessoas estiverem olhando uma mesma cena, não importa qual seja, cada um verá coisas diferentes, além de sentir e descrever coisas completamente diferentes umas das outras. Isso é porque cada um "interpreta" a realidade a sua própria maneira, ou seja, como diz o Osho, estamos vendo não aquilo que está na nossa frente mas as camadas e camadas de sonhos e imaginação que projetamos sobre a realidade.

Essas camadas que tem por finalidade nos "proteger" do mundo, também nos protegem de nós mesmos. Isto é, as mesmas barreiras que criamos para o mundo exterior nos impedem de experimentarmos as belezas interiores. 
Os sentimentos, amores, afetos, emoções, ficam também "distorcidos" devido a todas essa camadas e camadas de barreiras ou filtros como diz o Osho. 
Eles são verdadeiras couraças que nos aprisionam psicológica e fisicamente também. Nosso corpo acaba por expressar todos esses bloqueios que teimamos em carregar, e que impedem de vivermos de forma livre, espontânea e saudável.

É por isso que as psicoterapias tem por princípio primeiramente que entremos em contato com nossas camadas de personalidade, entremos em contato com todos os bloqueios que nosso corpo carrega, entremos em contato com o quanto de imaginação projetamos nas nossas vidas, nos nossos relacionamentos, no nosso trabalho enfim, e vamos cada vez mais nos desvencilhando dessas camadas e camadas, a fim de voltarmos a ter um olhar simples, puro, objetivo, que apenas vê e reconhece aquilo que é, sem nenhuma projeção ou idealização.

A meditação aliada a psicoterapia tem por finalidade o aprofundamento de todas essas vivências e a tomada de consciência direta do Eu Sou, além da forma, além do ego ilusório, mas a conscientização definitiva de que sempre fomos a TOTALIDADE. 
Tudo e todos são a mesma e única existência perene, onipresente, indivisível, amorosa e sábia.
Descobrir isso em nós é descobrir isso em cada ser, cada momento, cada respiração. 

Alcançar essa dimensão é Ser Consciência pura. Inteiros. Esvaziados. Leves. 
Abertos... Libertos...
Consciência significa viver em Verdade. Verdade que sempre esteve presente, porém foi encoberta por camadas e camadas de mentiras e sonhos...

Não mais divididos internamente, não mais iludidos, não mais sonhadores e a mercê das emoções, pensamentos, condicionamentos....mas amorosamente centrados na pura presença consciente que é Luz, alegria, simplicidade e paz.
Chegamos ao nosso centro mais profundo...
Amor
Amidha Prem

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails