18 de fevereiro de 2014

A Paz Permanente - U.G. Krishnamurti


"A tentativa de obter felicidade permanente e prazer ininterrupto só está sufocando o corpo, causando-lhe violência. Sua busca por felicidade só consegue destruir a sensibilidade e inteligência do sistema nervoso. Está perturbando radicalmente o equilíbrio químico do corpo.
O corpo, que só está interessado na sobrevivência e procriação, trata a dor e prazer da mesma forma. É você quem insiste em parar a dor e estender o prazer. A resposta do corpo para o prazer e a dor é a mesma.


O corpo não está de todo interessado em questões psicológicas ou espirituais. Suas extremamente elogiadas experiências espirituais são de nenhum valor para o organismo. Na verdade, elas são dolorosas para o corpo.
O amor, a compaixão, ahimsa, compreensão, felicidade, todas essas coisas que a religião e a psicologia têm colocado diante do homem, estão acrescentando apenas mais tensão ao corpo. 
Todas as culturas, sejam do Oriente ou do Ocidente, criaram esta situação desequilibrada para a humanidade e transformou o homem em um indivíduo neurótico. Em vez de ser o que você é - indelicado - você persegue o oposto fictício colocado diante de você - bondade. Enfatizar o que nós deveríamos
de ser, apenas provoca tensão, dando impulso á aquilo que na realidade já somos.
Uma vez que o pensamento se esgotou a ele próprio, nada que cria divisão pode permanecer lá. Enquanto o pensamento está nascendo, a desintegração ou morte do pensamento está ocorrendo também. É por isso que não é natural para o pensamento se enraizar. Somente através da manutenção de uma consciência dividida no homem, é o pensamento capaz de negar o funcionamento harmonioso do corpo. Moldar o homem em termos religiosos ou psicológico é negar a inteligência extraordinária deste corpo maravilhoso. É o movimento do pensamento que está constantemente a levar você para longe de seu estado natural e criando esta divisão.

Além de suas necessidades físicas naturais, o que você quer, surgiu a partir do que lhe foi dito, o que você leu, e o que você mesmo já experimentou. As necessidades físicas são evidentes e facilmente compreensíveis. Mas, este particular querer - o objeto de sua busca- é algo que nasce do seu pensamento, que por sua vez é baseado no conhecimento que você reuniu a partir de várias fontes.

O que você deseja? Há sempre alguém para ajudá-lo a obter o que você deseja, por um preço. Você insensatamente dividiu a vida em objetivos maiores e menores, em caminhos materiais e espirituais. Em ambos os casos, grande conflito, dor e esforço está envolvido.
Eu digo, por outro lado, que não há objetivos espirituais de todo, pois eles são simplesmente a extensão de objetivos materiais para o que você imagina ser um plano mais elevado, mais sublime. Você acredita equivocadamente que perseguindo o objetivo espiritual você vai, de alguma forma milagrosa, tornar seus objetivos materiais simples e manejáveis. Tais buscas são, na realidade, impossíveis. Você pode pensar que apenas as pessoas inferiores buscam objetivos materiais, que as conquistas materiais são entediantes. Mas, na verdade, os chamados objetivos espirituais que você colocou diante de si são exatamente os mesmos.

Qualquer coisa que você faça na busca pela Realidade ou Verdade leva você para longe do estado natural no qual você sempre está. Não é algo que você possa adquirir, atingir ou realizar como resultado de um esforço. Tudo que você faz impede a expressão “daquilo que já existe aí” de expressar-se a si mesmo. Por isso que eu chamo isto de “estado natural”. Você está sempre neste estado.

O que impede aquilo -que está aí- de expressar-se a si mesmo à sua maneira, é a busca. A busca está sempre na direção errada.
Assim, tudo o que você considera muito profundo, tudo o que você considera sagrado é uma contaminação naquela consciência. Pode ser que você não goste da palavra “contaminação”, mas tudo o que você considera sagrado,
santo ou profundo é uma contaminação. Não há nada que você possa fazer, não está em suas mãos. Isto é algo que não posso dar-lhe por que você já o tem. É ridículo pedir por algo que você já tem. Não existe nada para se receber de ninguém. Você tem o que eu tenho. Eu digo: você já está lá.É o passado que projetou estes objetivos - Deus, iluminação, paz mental, o que quer seja - e colocou-os no futuro, fora do alcance. Então, a felicidade é sempre no futuro, amanhã. Um homem feliz não estaria interessado em buscar a felicidade. Um homem bem alimentado não está em busca de comida.
Suas expectativas são parte de seu desejo de mudar tudo.
Nada precisa de ser mudado, você deve aceitar a vida como ela é. Através de "mudança" você deseja e espera para nascer de novo. Para que? Esta vida é o suficiente. Não há paz nesta vida, não falta infelicidade, para que esperar até sua próxima vida para ser feliz. Não vale a pena. Você pode muito bem não
nascer de novo. Afinal de contas, é apenas uma teoria esperançosa sua. Você pode muito bem descobrir por si mesmo se é possível estar em paz com você mesmo agora.

A menos que você esteja em paz consigo mesmo, não poderá haver paz no mundo. Quando é que você vai estar em paz consigo mesmo? Na próxima vida? Sem chance. Espere, você vai ver. Mesmo assim, não há garantia de que a sua sociedade será pacífica. Eles não vão estar em paz. Quando você está em paz consigo mesmo, isso é o fim da história."
U.G. Krishnamurti 

Um comentário:

  1. perfeito!
    até que em fim apareceu alguém pra falar a verdade e acabar com toda essa paranoia de iluminação...

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails