24 de setembro de 2011

Relacionar-se...



"Amor nunca é um relacionamento, amar é relacionar-se.
É sempre um rio fluindo sem fim;
O amor não conhece ponto final;
A lua-de-mel começa mas nunca acaba;
Não é como uma novela que começa e termina em um certo ponto é um fenômeno contínuo;
Amantes acabam, o amor continua, é um continnum, é um verbo, não um nome.
E porque nõs reduzimos a beleza de um relacionar-se a um relacionamento?
Porque temos tanta pressa?
Porque relacionar-se é inseguro;e relacionamento é uma segurança.
Relacionamento tem uma certeza;
Relacionar é apenas o encontro de dois estranhos
Talvez apenas uma parada noturna e de manhã nos dizemos adeus!
Quem sabe o que acontecerá amanhã?
E nós temos tanto medo que queremos ter certeza, queremos torná-lo previsível
Gostaríamos que o amanhã fosse de acordo com nossas idéias;
Não lhe permitimos liberdade para ter sua própria palavra;
Então reduzimos cada verbo a um nome.

Num mundo melhor, com pessoas mais meditativas, com um pouco mais de iluminação dispersa por sobre a Terra, as pessoas amarão, amarão imensamente, mas seu amor permanecerá um relacionar-se, não um relacionamento.
Eu não estou dizendo que o amor deles será apenas momentâneo,
Há toda possibilidade que possa ir mais fundo que o seu amor
Ter uma qualidade de intimidade mais elevada;
Possa ter algo mais de poesia e Deus nele;
E há toda possibilidade de durar mais que o seu assim chamado seu relacionamento.
Poderá durar o quanto for preciso, mas não será garantido pela lei, pela justiça,
A garantia será interior;
Será um compromisso a partir do coração .Será uma comunhão silenciosa.

Se você aprecia o estar com alguém, e gostaria de desfrutar mais e mais disto
Se você aprecia a intimidade e gostaria de explorar a intimidade mais e mais;
Há algumas flores do amor que abrem só depois de uma longa intimidade
Existem flores sazonais também, durante seis semanas elas estão ao sol,mas em seis semanas elas se vão novamente,para sempre.
Há flores que levam anos para chegar,quanto mais demoram, mais profundo elas vão,
Mas tem que ser um compromisso de um coração para outro coração;
Não há nem mesmo que se verbalizar, porque se verbalizar é profaná-lo;
Tem que ser um compromisso silencioso;
Olhos nos olhos.
Coração no coração.
Ser no Ser.
Tem que ser entendido, não dito.(...)

Cada indivíduo é tão misterioso que se você for mais e mais fundo nele, o mistério é infinito,
Você se enjoa do outro porque permanece na periferia, sempre na periferia...

Amar é muito raro;
Encontrar uma pessoa no seu centro, é você mesmo passar por uma revolução;
Porque se você quer encontrar uma pessoa no centro dela,
Terá que permitir que aquela pessoa também alcançe seu centro,
Terá que se tornar vulnerável, absolutamente vulnerável,
Aberto.
É arriscado.
Permitir a alguém alcançar o seu centro é arriscado, perigoso,
Porque você não sabe o que aquela pessoa lhe fará.
E uma vez que todos os seus segredos sejam conhecidos;
Uma vez que o que estava ecoberto se torne descoberto;
Uma vez que você esteja completamente exposto;
O que a outra pessoa fará? Nunca se sabe.

Daí o medo, por isso nunca nos abrimos;
Então a primeira coisa a ser entendida é: Nunca tome o conhecimento por amor,
Você pode estar fazendo amor, pode estar sexualmente relacionado, mas sexo também é periférico,
A não ser que centros se encontrem
Sexo é apenas o encontro de dois corpos,
E o encontro de dois corpos, não é o seu encontro,
Sexo permanece conhecimento físico, corporal, mas ainda conhecimento.

Você pode permitir a alguém entrar no seu centro só quando não tem medo,
Quando não está amedrontado,
Então eu lhes digo que há dois tipos do viver:
Um orientado pelo medo;
Outro orientado pelo amor.

Viver orientado pelo medo nunca pode levar a profundos relacionamentos,
Você permanece amedrontado;
E o outro não pode ser permitido a penetrar no centro do seu centro,
Até um certo ponto você permite o outro e então surge uma parede e tudo para.
A pessoa orientada pelo amor é a pessoa religiosa;
A pessoa orientada pelo amor significa que não tem medo do futuro.
Que não tem medo do resultado e das consequências, que vive aqui e agora.
Se você pode estar neste momento, neste momento presente, a presença, a plenitude
Só então você pode amar."
Osho em Tantra a suprema compreensão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails