6 de janeiro de 2015

Sobre os julgamentos - Jeff Foster


"Eu tenho julgamentos, mas não sou crítico. Não julgo os julgamentos como "verdadeiros" ou "certos", isso é tudo. Eles são apenas pensamentos inocentes, passando através da consciência. Eles são apenas opiniões, perspectivas, maneiras de ver, que estão sempre mudando. Eles não são errados, ou prejudiciais em si mesmos. Eles não são "fatos indiscutíveis".

Quando nós acreditamos que nossos julgamentos são "realidade", quando nós confundimos nosso julgamentos com a cena completa, nós deixamos de escutar, deixamos de estar curiosos, deixamos de prestar atenção ao que está vivo naquele momento. Nós reduzimos algo que está vivo e sempre mudando a uma "coisa" , a um simples objeto. Nós nos tornamos rígidos, inflexíveis, e até mesmo arrogantes. Nós "sabemos". Este é o princípio da violência.

O truque é não se livrar de todo o julgamento, ou julgar os julgamentos como sendo "ruins" ou de "não espirituais", ou fingir não ter julgamentos, mas ver os julgamentos como sendo apenas julgamentos. Então, você não é mais o juiz, não mais o crítico por natureza, mas você é consciência compassiva dos julgamentos, assim que eles surgem, ficam por um tempo, e passam. Você não tem uma natureza fixa. Você está vivo.

Você compreende que você não tem julgamentos; você não causa seu surgimento. Você simplesmente permite que todos os julgamentos venham e vão espontaneamente em sua amorosa e receptiva consciência, e você não se apega a eles ou os empurram para longe - ou os confunde como sendo a realidade.

E não se esqueça, julgar os julgamentos como sendo "ruins" ou "errados" é o maior julgamento de todos! "

***
Tudo que passar por sua mente, sejam pensamentos, memórias, sensações, julgamentos, sonhos...tudo isso são apenas fluxos de energia, nuvens no céu da consciência que você é! 
Não dê valor a nada disso. Saiba que isso é inerente dos seres humanos, nós possuímos uma mente pensamente, é uma camada que temos, mas nós não somos esta mente, e mais, esta mente não tem nenhum poder sobre a realidade se observo os pensamentos virem e irem, se não os alimento, não lhes dou atenção, eles não ganham vida, voltam para o vazio de onde vieram.

Esta consciência faz com que a consciência deixe de ser vítima dos pensamentos. Na verdade nunca foi, mas por se identificar com a mente, acreditamos que somos aquilo que pensamos - penso logo existo! - mas não é verdade, nós existimos como seres humanos, dotados de uma mente pensante, logo, existimos por isso pensamos!

O que Jeff nos aponta é não julgarmos os julgamentos, não nos prendermos até a impossibilidade de julgar algo. Claro que podemos, mas conscientes de que tudo isso são apenas pensamentos, são fluxo, energia em movimento, não são a realidade. São apenas impressões sobre a realidade, nada mais. Eles virão e irão. Nós enquanto silencio perene, estaremos ali para observá-lo...
Essa observação desinteressada permanece absolutamente consciente, livre, aberta e amorosa...
Namastê
Amidha Prem

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails