23 de junho de 2014

Intelecto e Emoção - Osho


"O problema real não é usar em excesso a inteligencia, mas o não-uso da emoção. Emoção é completamente desprezada em nossa civilização, logo o equilíbrio é perdido, e se desenvolve uma personalidade desequilibrada.

O equilíbrio da emoção e intelecto deve ser mantido na proporção adequada, se não a personalidade fica doente. É como se se usasse apenas uma perna. Você até pode fazê-lo, mas não te leva muito longe, você se cansa.
A outra perna deve ser usada. 

Emoção e inteligência são como duas asas: quando se usa apenas uma asa, o resultado é frustrante. Então, a benção acontece quando se usam as duas asas simultaneamente, em balanço e harmonia.
Não tenha medo de usar demasiadamente a inteligência. Só quando a inteligência é usada, você toca a profundidade; só assim seu potencial é estimulado. O trabalho intelectual não significa que sua inteligência está sendo usada. Trabalho intelectual é meramente superficial; nenhuma profundidade é tocada, nenhum desafio. Isso dá origem ao tédio; isso cria o trabalho sem prazer. O prazer sempre vem, quando sua individualidade é desafiada e você tem que provar a si mesmo e responder ao desafio.
Quando desafiado, inteligência ou emoção, ambos criam suas próprias bençãos.

Uma personalidade esquizofrênica é quando apenas uma parte da personalidade está funcionando, e a outra está morta. Então, a parte que trabalha começa a não trabalhar bem, porque fica sobrecarregada.

Personalidade é a Totalidade e não existe divisão alguma. 

Na verdade, toda a personalidade é uma energia que flui. Quando a energia é usada de maneira lógica ela se torna inteligência, e quando não é utilizada de maneira lógica mas emocional, ela se torna o coração. São duas coisas separadas; a mesma energia fluindo através de dois canais diferentes.

Quando não existe o coração, mas apenas o intelecto, você não consegue relaxar. Relaxar significa que agora a mesma energia interna está fluindo por um canal diferente. Relaxamento não significa ausência de trabalho, significa que o trabalho está acontecendo em uma dimensão diferente. Em seguida, a dimensão que é sobrecarregada, relaxa.

A pessoa que segue uma busca intelectual de forma contínua, nunca relaxa. Ela não desvia sua energia para outra dimensão, por isso sua mente continua trabalhando desnecessariamente, em apenas uma direção.

Isso cria o tédio. Pensamentos e mais pensamentos vêm e vão; a energia é difusa, desperdiçada. Você não pode apreciá-la. Pelo contrário, você fica desapontado e revoltado com esse fardo desnecessário. Mas não é culpa nem da mente, nem do intelecto. Porque a dimensão alternativa não foi fornecida, porque não existe outra porta aberta para ela, a energia continua circulando em círculos dentro de você.

A energia nunca pode ficar estagnada. Energia significa que não está parada, estagnada, está sempre fluindo. Relaxamento não significa energia estagnada ou dormindo; cientificamente, relaxamento significa que agora a energia está fluindo através de outro canal, uma outra dimensão - que entrou em outra sala.

Por exemplo: se você trabalha em um problema científico, então você pode relaxar lendo um romance. O trabalho é diferente; para lidar com um problema científico é necessário ser ativo, um modo masculino - que para ler um romance é ser passivo, que é um modo absolutamente feminino. Mesmo que você esteja usando a mesma mente, você vai estar relaxado, porque é o polo oposto da mente que está sendo usado. Você não está resolvendo nada, você não está ativo; você é apenas um receptor, que recebe alguma coisa. A dimensão é a mesma, exceto que a emoção, o polo oposto está sendo colocado em uso.

Do mesmo modo, quando amamos, o intelecto não entra no jogo. Muito pelo contrário: a parte irracional da sua personalidade entra em ação. A inteligência deve ser equilibrada pelo amor, e amor deve ser equilibrado pela inteligência. Normalmente, esse equilíbrio não é encontrado em qualquer lugar.

Se alguém está apaixonado e começa a negligenciar todas as atividades intelectuais, isso também vai criar tédio. Mesmo o amor torna-se uma tensão, se for um caso de vinte e quatro horas por dia. Uma vez que o desafio é perdido, o prazer também será perdido: o jogo será perdido e se tornará apenas trabalho. A mesma coisa acontece com um intelectual que negligencia o lado emocional de seu ser.

Essas duas partes, estes dois polos, devem estar em equilíbrio, só então é um ser humano integrado e individualizado nasce."
Osho em The Great Challenge, Talk #5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails