11 de julho de 2013

A Mente Sonhadora - Osho


"O homem vive como se estivesse dormindo. 
O homem está adormecido. Tudo o que é conhecido como vigília também é sono. Iniciação significa estar em íntimo contato com alguém que está acordado. A menos que você esteja em íntimo contato com uma pessoa acordada, é impossível sair do sono, porque a mente é capaz de sonhar até que não está sonhando. A mente pode sonhar que não está mais sonhando, e você não saberá que esse é mais um sonho. Só saberá que estava sonhando quando acordar.

É impossível saber que algo é um sonho enquanto o sonho estiver acontecendo. Você só se torna consciente dele depois que ele se foi, depois que passou. (...) Você só pode dizer que algo era um sonho, porque no seu decorrer o sonho parece muito real. Apenas quando há uma aparência de realidade é que o sonho pode ser criado.

Quando digo que o homem está adormecido, isso tem de ser compreendido. Estamos sonhando continuamente, vinte e quatro horas por dia. À noite, estamos fechados para o mundo exterior, sonhando internamente. Durante o dia nossos sentidos estão abertos para o mundo exterior, mas o sonho continua interiormente. Feche seus olhos por um momento e estará novamente em um sonho. Ele é uma continuidade interior. Você está alerta para o mundo exterior, mas esse estado de alerta existe com uma mente sonhadora. (...) 
É por isso que não vemos o que é real mesmo quando estamos supostamente acordados. Sobrepomos nossos sonhos à realidade. Nunca vemos o que é, vemos sempre nossas projeções.

Se eu olhar para você e houver um sonho em mim, você se tornará um objeto de projeção. Projetarei meu sonho sobre você e tudo o que eu compreender a seu respeito estará mesclado a meu sonho, a minha projeção. Quando o estou amando, parece que você é de um jeito; quando não estou amando parece que você é completamente diferente. Você não é o mesmo, porque o usei apenas como uma tela e projetei minha mente sonhadora em você.

Quando eu o amo, o sonho é de um jeito e você parece ser diferente. Quando não o amo, você é o mesmo - a tela é a mesma - mas, a projeção é outra. Então estou usando-o como uma tela para um outro sonho. Mas o sonho poderá mudar outra vez; poderei amá-lo novamente. E você novamente parecerá diferente para mim. Nunca vemos o que é; estamos sempre vendo nossos próprios sonhos projetados no que é.

A mente sonhadora cria a seu redor um mundo que não é real. Esse é o significado de Maya, ilusão. "Ilusão" não significa que o mundo não existe, que o barulho lá da rua não exista. Ele existe, mas nunca podemos saber como ele é, a menos que a mente sonhadora interior pare. (...)

Quando a mente muda, tudo a seu redor adquire uma nova cor. Portanto, quando dizemos que o mundo é uma ilusão, Maya, isso não significa que não existe. Ele existe, mas o modo como nós o vemos é que é uma ilusão. O que vemos não pode ser encontrado em lugar nenhum.

Quando alguém acorda, o mundo real não desaparece. O que desaparece é o mundo conhecido anteriormente. E um mundo completamente novo, um mundo objetivo o substitui. O colorido, a forma, os significados, as interpretações dadas por você de acordo com sua mente sonhadora é que desaparecem.

Quanto a esse mundo de Maya, de ilusão, de projeção - nunca vivemos em um único mundo. Cada homem vive em seu próprio mundo; assim, existem tantos mundos quanto pessoas sonhando. Não sou o mesmo para cada um de vocês; cada um projeta em mim algo diferente.
Sou um apenas para mim mesmo.E se eu estivesse sonhando, então até mesmo para mim, seria diferente a cada momento, porque a cada momento minha interpretação seria diferente.
Mas se estou acordado, sou sempre o mesmo.
Buda disse que o teste para se saber quando uma pessoa está iluminada, é verificar se ela é sempre a mesma, exatamente como a água do mar. Em qualquer lugar, seja onde for, a água do mar é salgada. Assim, se estou acordado, para mim sou sempre o mesmo. (...)


Se estou acordado permaneço sempre igual para mim mesmo, mas você ainda me vê de muitos modos, porque vem a mim com sua mente sonhadora, que está sempre projetando. Para alguém, posso parecer um amigo, para outro posso parecer um inimigo. Cada qual está projetando a si mesmo no outro.

Criamos um mundo a nosso redor e cada um vive em seu próprio mundo. É por isso que há uma colisão. Os mundos colidem: o seu e o meu. Quando duas pessoas começam a viver em um quarto, há dois mundos vivendo juntos e as colisões são inevitáveis. Não há apenas duas pessoas vivendo no mesmo quarto, há dois mundos. O quarto tem espaço suficiente para duas pessoas, não para dois mundos.

Todo conflito da sociedade humana, das relações humanas é um conflito entre mundos, não entre pessoas.
Se sou uma pessoa sem um mundo criado por meus sonhos e você também é uma pessoa sem um mundo criado por seus sonhos, podemos viver em um quarto pela eternidade sem qualquer colisão, porque o quarto é suficientemente grande para duas pessoas.
Mas, para dois mundos, até mesmo o planeta inteiro é insuficiente. E existem, muitos mundos, porque cada indivíduo é um mundo. Cada um vive em seu próprio mundo interior e está fechado para tudo o que está fora dele.

Esse é um tipo de sonho. Você tem a seu redor um filme cheio de projeções, de ideias, de noções, de conceitos, de interpretações. Você é uma máquina que não pára de projetar coisas que não estão em lugar nenhum, apenas dentro de si mesmo, e tudo se torna uma tela.
Assim, você não pode nunca perceber por si mesmo que está em um sono profundo."
Osho em Eu sou a porta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails