14 de dezembro de 2011

Ares e horizontes...



Abraço o mundo como um rouxinol
Olhos vivos
Asas abertas
Alma leve
Simplicidade...

Almejo os ares e horizontes
Como as brisas frescas da lavanda
Que alcançam esferas infinitas
Entorpecem, inebriam
E invisíveis,
Transformam tudo por onde passam...

Descanso sob as sombras dos Manacás
Espero que suas pétalas rosadas me cubram no frio inverno
E enfeitem meus cabelos no calor do verão
Deixo-me cobrir de pétalas
Para me transformar em flor...

Pertenço ao mundo
Vivo-o dentro
Guardo cada sopro em meu sopro
Guardo cada sentimento
Cada dor
Cada palavra e verso
Onde somente o infinito ousa alcançar...

Desperto para a divina música
Me transformo em totalidade
No detalhe mais puro mais simples
Eis que mergulho inteiramente no ato de amar...

Abraço o mundo como um rouxinol
Desperto nova a cada manhã
Olhos que cantam
Asas leves
Alma viva
Tudo isso é Paz...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails