13 de maio de 2013

O Agora é Liberdade - Satyaprem


"Você é o oceano. A ideia de ser uma onda é inadequada, causa separação. 
A ideia de separação é a causa do sofrimento. E o sofrimento gera a a busca pela felicidade...

A boa nova é que não tem felicidade. E sofrimento, tampouco.
Você sofre porque deseja a felicidade, algo fugaz, que vem e vai. 

Atente para o fato de que também o sofrimento vem e vai. Nada fica. Então, por que buscar um e evitar o outro? 

Você já teve o melhor carro, e ele se foi. Já teve aquele grande amor e este também se foi. Essa é a natureza das coisas. Essa é a lei do periférico: ir e vir. Tudo aquilo que aparece, desaparece. 

Tudo aquilo que vem, vai.
Só uma coisa não vem nem vai, permanece. E não é uma coisa. 

É para Isso que quero que você atente. 
Descubra o que é Isso que fica. 
O que é Isso que nunca foi, nunca irá e não veio de lugar nenhum? Veja! 

É o momento de compreender essa linguagem que, até hoje, tem sido completamente oculta. 

É o momento de compreender todas aquelas – antes incompreensíveis – histórias Zen.Você está sendo iniciado e agora não só compreende a nova linguagem como pode vivenciá-la no seu dia a dia. 

Você está em casa e isso está ficando claro. Chega de se confundir com os sentimentos, com o corpo, com a mente. 
Este é um momento em que é necessário que muitos saibam a respeito de Si, seja um deles. Saiba quem você é. 
Seja quem você É.

Verifique que aqui e agora não há nenhum querer, nenhum desejo e isso não é algo que deva ser alcançado, basta ser percebido, pois é a sua natureza. Verifique – veja e fique –, olhe para o lugar certo e tudo o que você busca está absurdamente diante do seu nariz.  

Se você olha para a mente, sempre encontra desejos e, consequentemente, insatisfação. Se olha para o lugar certo, o que encontra? O lugar certo, neste contexto, é dentro – e dentro não pode ser acessado com os sentidos. Logo, pergunto: o que você vê sem os sentidos? Silêncio é a resposta. A única resposta. Se é isso o que você quer, aproxime-se!

Costumo questionar algumas pessoas que me encontram pela primeira vez a respeito do que elas estão pensando “agora”. Geralmente, dada a pergunta, elas começam a pensar ou tentar pensar em algo, sem se dar conta que “agora” elas não pensam. Pensar está sempre antes ou depois. O corte do “agora” é muito mais brusco e agudo. Nada pode acontecer no “agora”.

Por este motivo a pergunta é feita e refeita, incansavelmente – muitos a fizeram e vislumbro que tantos outros a farão – para que esta semente, a semente da Verdade, se instaure.

Apenas uma coisa deve ser feita, estabeleça a seguinte verdade: aqui e agora é onde reside o segredo. 
Tudo o que você tem feito para encontrar o segredo, apenas o afasta. Esteja atento ao “aqui e agora” e nada mais é necessário. Se você quer que, no mínimo, a sua vida “melhore”, enamore-se do “aqui e agora” e será o fim de todo o sofrimento. 
Uma vez que se estabeleça essa abertura, possivelmente você estará diante de uma imensurável liberdade, pelo reconhecimento e deleite em ser o que você é. 
Satyaprem em Satsang

Um comentário:

  1. A todos os buscadores! E todos o são: uma vez que a semente da Verdade é inoculada, nada pode impedí-lá de florescer. Aí sobra como única opção fluir com a corrente!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails